Venda na loja ou na internet e envie o seu próprio link de pagamento! pelo WhatsApp direto do Sistema. Clique aqui e conheça o STi3 Pay.

PIX: Tudo que você precisa saber sobre esse meio de pagamento!

Por STi3 Sistemas | 03 de Setembro de 2020

O PIX é a nova tecnologia do momento, e já conquistou muitos consumidores com sua praticidade e facilidade para transferir dinheiro e fazer todos os tipos de transações virtuais.

Mesmo que tenha sido lançado oficialmente em novembro de 2020, a nova forma de pagamento do Banco Central já conta com milhões de usuários cadastrados.

Operações que levavam dias agora demoram apenas alguns segundos, oferecendo vantagens para o consumidor e também para as empresas.

Mas para aproveitar todos esses benefícios, vale a pena entender como a ferramenta funciona de verdade, até mesmo para utilizá-la com mais confiança.

Por isso, se você quer se aprofundar no assunto e saber tudo sobre o Pix, a STi3 Sistemas preparou um guia completo para te ajudar. 

O que é PIX?

O PIX é um meio de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central. Ele permite transferências imediatas a qualquer momento, entre contas de qualquer titularidade e banco.

No entanto, ao contrário de operações como TED, DOC e boletos, esse sistema permite a realização de transações virtuais de forma 100% gratuita.

Com ele, também é possível mandar dinheiro para outras pessoas, mesmo para contas de outras instituições, além de pagar contas por QR Code e até mesmo comprar em lojas e pagar prestadores de serviço.

Desenvolvida pelo Banco Central, o principal objetivo desse novo sistema é desburocratizar a transação financeira. E com isso, acompanham as taxas das operações. 

No mercado atual, por exemplo, a cada transferência pelos meios existentes, as instituições financeiras arcam com um valor aproximado de R$0,07. Ao implementar o PIX, esse valor passará a ser de R$0,01 a cada 10 transações.  

Já falando sobre as pessoas físicas, se um DOC em uma instituição tradicional tem o valor aproximado de R$10 a R$15, com o PIX, esse processo será realizado de maneira gratuita. 

Além das transferências, ele também será utilizado para pagamentos em estabelecimentos de comércio em geral.

Lançado oficialmente em novembro de 2020, o sistema já conta com mais de 250 milhões de chaves cadastradas, de acordo com o Banco Central.

Qual a diferença do PIX para outros meios de pagamento?

Apesar de todos serem meios de pagamento, o PIX apresenta algumas características bem distintas em relação ao TED e ao DOC.

Para não se confundir com esses sistemas, é importante conhecer suas principais diferenças:

PIX e DOC

A começar pelo Documento de Ordem de Crédito, ou DOC, como é abreviado, o sistema apresenta alguns contrastes em relação ao PIX.

Em primeiro lugar, o dinheiro transferido por DOC só cai na conta do beneficiário no dia seguinte, enquanto o novo sistema oferece operações instantâneas, com transferências em segundos.

Além disso, o DOC pode levar mais de um dia útil caso seja feito após as 22h. O PIX não tem limite de horário, nem dias, podendo ser feito nos feriados e finais de semana também.

Por outro lado, ambos possuem limites de dinheiro parecidos. O limite do PIX é de R$5 mil por dia, enquanto o do DOC é de R$4.999,99 por documento.

PIX e TED

Enquanto isso, a Transferência Eletrônica Disponível, ou TED, não possui limite de dinheiro para a transação, mas tem agendamento só para o próximo dia útil, não sendo depositado na hora.

Além disso, obedece o horário comercial, até as 17h, o que estende ainda mais o prazo da transação.

O PIX só precisa da chave cadastrada para enviar o dinheiro ou fazer o pagamento, mas o TED precisa de diversas informações, como:

  • Banco, agência e conta;
  • Nome e CPF do destinatário.

Caso não tenha algum desses dados, não é possível fazer a operação, que se torna muito mais burocrática e demorada.

Como funciona o PIX?

O PIX é um sistema que funciona todos os dias da semana, 24 horas por dia. Além disso, ele não possui limite de operações, como o TED e o DOC. Ou seja, o usuário pode enviar quantos PIX quiser, até atingir o limite máximo diário.

Esse meio de pagamento pode ser feito entre:

  • Pessoas físicas;
  • Estabelecimentos comerciais e pessoas físicas;
  • Estabelecimentos;
  • Para entidades governamentais.

Também existe a possibilidade de pagar contas e impostos com esse sistema. Empresas de energia elétrica, por exemplo, já imprimem um QR Code nas contas para o pagamento por PIX.

Para realizar a transferência instantânea, basta o pagador e o recebedor terem conta em uma instituição financeira, podendo ser digital ou conta corrente.

Nesse caso, não precisa pedir dados como CPF e nome completo do recebedor.

O sistema identifica a conta a partir da chave cadastrada, realizando o envio do dinheiro ou pagamento diretamente para o usuário. Por isso, cada chave é única e só pode ser registrada uma vez.

Depois de fazer a transferência, o banco envia uma notificação para as duas pessoas envolvidas, anunciando que o PIX foi feito com sucesso.

Como o PIX para negócios atua?

Para as empresas, o PIX é uma maneira de modernizar as formas de pagamento e recebimento.  

Com a nova tecnologia, não será mais necessário máquinas de cartão para que as operações financeiras por meio de crédito e débito sejam feitas. 

Além disso, também será possível transformar grandes players varejistas em pontos de saque de dinheiro para seus clientes.  

Por isso, é fundamental que os estabelecimentos se adaptem à nova forma de pagamento o quanto antes.  

Isso porque as transações com PIX só poderão ser feitas caso a empresa possua esse mecanismo.

Fazendo e recebendo transações com o PIX

Para começar a fazer e receber transações com o PIX, é necessário cadastrar uma chave na conta bancária que você deseja vincular.

Dessa forma, as pessoas poderão enviar dinheiro diretamente para você a partir dessa chave, que pode ser seu CPF, seu celular ou mesmo uma chave aleatória.

Além disso, o sistema também conta com a tecnologia de pagamento por QR Code, que facilita as transações com estabelecimentos, por exemplo.

Basta entrar na área do PIX no aplicativo do seu banco e localizar a opção de pagar com a leitura de um código. Ao apontar sua câmera para o QR Code, o aplicativo já irá identificar a conta do recebedor.

Atualmente, a grande maioria dos bancos e instituições financeiras já disponibiliza um menu especial para nas plataformas, com diversas opções para enviar e receber dinheiro.

Também é possível criar links de cobrança com um valor pré-definido, facilitando ainda mais o pagamento entre pessoas físicas.

Enquanto isso, estabelecimentos comerciais podem disponibilizar seus próprios QR Codes ou chaves aleatórias para o pagamento de compras.

Ao cadastrar uma chave, você automaticamente estará apto para receber e enviar transações.

Aprendendo a usar o PIX

Além das transferências comuns, existem algumas outras formas de usar o PIX no dia a dia, tanto como pessoa física, quanto como pessoa jurídica.

Para aproveitar essa ferramenta ao máximo, vale a pena aprender como utilizar o sistema corretamente, e como funcionam os elementos básicos que fazem parte desse meio de pagamento:

Chaves do PIX

As chaves do PIX são mencionadas com frequência, afinal, elas são as responsáveis por permitir que as transações aconteçam de forma rápida e segura.

Trata-se de um “apelido” utilizado para identificar a sua conta bancária. Ela vincula os dados do recebedor, como agência e conta.

Isso torna as transações mais simples, porque não precisa reunir todos esses dados a cada transferência.

Cada conta bancária de pessoa física pode ter até 5 chaves PIX cadastradas, enquanto contas jurídicas podem ter até 20.

No entanto, cada chave é única, e não pode ser registrada duas vezes. Ou seja, se você usa uma chave em uma conta, não pode usar em outra.

Atualmente, existem quatro tipos de chaves:

Chaves aleatórias

As chaves aleatórias consistem em uma combinação de 32 dígitos, entre números, símbolos e letras, que criam uma sequência única para enviar e receber transferências.

Uma das vantagens da chave aleatória é que não precisa de cadastro, basta gerar a chave no momento da transação.

Ela foi criada para oferecer mais segurança, porque é difícil memorizar todos os 32 dígitos da chave.

Além disso, ela pode ser descartada no final da transferência, e o usuário pode gerar outra a qualquer momento.

E-mail

Enquanto isso, também é possível cadastrar o seu e-mail como chave PIX. Basta ter um endereço válido e ativo, que atenda ao formato padrão (endereç[email protected]ínio.com ou endereç[email protected]ínio.com.br).

Essa chave também é uma maneira de compartilhar o PIX para transferências com mais segurança e sigilo, afinal, você pode cadastrar qualquer e-mail.

A opção também é interessante para estabelecimentos, que podem fornecer um endereço profissional para fazer suas transações.

Celular

O número de celular é uma das chaves mais utilizadas, por conta da facilidade de cadastrar e memorizar.

Amigos e conhecidos que quiserem enviar ou cobrar dinheiro podem acessar a chave pela agência telefônica, além de ser um dado de contato de rápido acesso.

No entanto, é preciso ter mais cuidado ao compartilhar essa chave, por ela ser mais pessoal.

CNPJ ou CPF

Por fim, o CPF ou CNPJ também são aceitos como chaves nas instituições financeiras.

Não é possível cadastrar duas dessas informações, já que o apelido e o documento são únicos para cada pessoa.

Além disso, também é fundamental ter cuidado ao compartilhar essa chave, por se tratar de um dado importante.

No entanto, muitos bancos divulgaram promoções especiais para clientes que cadastrassem o CPF como chave na conta, por se tratar da chave mais importante e mais fácil de contabilizar.

PIX estático

As chaves permitem fazer transferências entre pessoas físicas e para estabelecimentos, mas não é a única forma de usar o sistema.

O PIX estático funciona como QR Code estático, um código que pode ser utilizado em múltiplas funções, de maneira segura e prática.

No dia a dia, existe a possibilidade de gerar um código para pagamento por PIX, mas trata-se de uma leitura única, e o QR Code desaparece logo em seguida.

No entanto, com essa modalidade, é possível definir não apenas um código duradouro, como também um valor fixo para o pagamento.

Dessa forma, o pagador não precisará inserir a quantia manualmente, fazendo a leitura de todos os dados.

Esse formato é ideal para pontos de venda, para exibir o código com preço fixado à disposição do cliente, sem prejudicar a segurança da operação.

PIX Cobrança

Além do sistema de transferência e pagamentos, o Banco Central também desenvolveu o PIX Cobrança, que funciona de forma parecida com um boleto.

Com ela, é possível gerar um QR Code de pagamento com informações mais completas, como prazo, multas e descontos.

Essa ferramenta pode ser usada por lojistas, fornecedores e prestadores de serviço, por exemplo, em estabelecimentos físicos ou até e-commerce.

Dessa forma, será possível emitir códigos de pagamento imediatos ou futuros, com valor e adicionais personalizados.

Além disso, a funcionalidade também permite a cobrança de um valor mais alto que o limite do PIX normal, sendo ideal para pessoas que lidam com grandes quantias diariamente.

PDV do sistema STI3

Uma das opções mais completas do mercado e que facilita ainda mais as transações utilizando o PIX, é o Ponto de Venda (PDV) oferecido pela STI3. 

Esse sistema é responsável por operações como:   

  • Emissão de documentos fiscais; 
  • Integração dos diferentes sistemas de recebimento, como cartão de crédito/débito; 
  • Cadastramentos e consultas de clientes e produtos; 
  • Controle de estoque e do caixa da empresa;
  • Controle visual das vendas realizadas.

Com o PIX, o PDV da STI3 será capaz de gerar QR Code ou link para pagamentos e recebimentos, automatizando toda a operação. 

Benefícios do PIX

As vantagens dos PIX em comparação com modelos tradicionais, como os boletos por exemplo, são inúmeras.  

Afinal, o projeto foi criado e instituído justamente para solucionar os problemas dos meios de pagamento atuais.  

Para que você saiba quais são as principais vantagens do PIX, selecionamos as mais importantes:

Redução dos custos para o empreendedor e consumidor

Uma das principais características que fizeram o PIX se popularizar tão rápido foi a redução de custos para todos os usuários.

Pessoas físicas podem enviar e receber dinheiro de forma 100% gratuita, o que não era possível com meios como TED e DOC, principalmente para contas em bancos diferentes.

Enquanto isso, o valor podia ser ainda maior para empreendedores. Mas agora, com essa tecnologia, é possível economizar, e muito, com as transações digitais no dia a dia.

Maior controle do empreendedor para receber pagamentos no PDV

Apesar da praticidade, o PIX conta com um sistema completo de notificação a cada transação, que identifica o pagador e as informações da operação.

Dessa forma, os empreendedores poderão ter um controle melhor dos pagamentos, e, inclusive, implantar esse meio em seu PDV.

Através de alternativas como o PIX Cobrança ou o QR Code estático, é possível facilitar o pagamento em pontos permanentes, com mais facilidade, mas mantendo o controle das transações, inclusive integrando com um sistema de gestão.

Flexibilização de horário de transações

Outra vantagem principal do PIX é a flexibilização de horário que ele oferece. Ao contrário que outros sistemas, esse meio de pagamento pode ser feito em qualquer dia, a qualquer hora.

Ele acontece mesmo em feriados, fins de semana e fora do horário comercial. Isso traz muito mais praticidade para quem precisa mexer com dinheiro fora do horário convencional.

Forma de pagamento instantânea

Além disso, com o PIX, as transações financeiras se tornaram instantâneas. Leva segundos para transferir dinheiro entre contas, e apenas alguns minutos para processar pagamentos.

Esse benefício é ótimo para pessoas físicas, que tem pressa em fazer suas operações, e também para estabelecimentos, que oferecem uma alternativa mais rápida e cômoda para os clientes.

Mesmo fora do horário comercial, o PIX tem um prazo mínimo, e com certeza menor do que outros meios.

O que mais posso fazer com o PIX?

Além de fazer transações financeiras que envolvem os clientes e fornecedores, com o PIX, também será possível uma captação de dados para nutrir os bancos de informações das empresas. 

Desburocratização cadastral 

Utilizando o PIX, os dados exigidos por muitas lojas poderão ser feitos automaticamente, com enorme desburocratização desse processo. 

Pagamento de taxas e impostos 

Também será possível pagar taxas e impostos ao governo através do novo sistema, aumentando assim a transparência das empresas frente às tributações necessárias.

Principais dúvidas sobre o PIX

Agora, para conhecer o serviço de forma completa, confira algumas das principais dúvidas do público sobre o PIX:

O PIX para negócios é pago?

A resposta é: depende. Para pessoas físicas, o PIX é totalmente gratuito, sem cobranças em nenhum serviço.

Por outro lado, o PIX para negócios pode apresentar tarifas, dependendo da instituição financeira que detém a conta jurídica.

Nesse caso, pode haver cobrança tanto para o emissor quanto para o receptor da transação.

Além disso, alguns bancos e fintechs, como Banco Inter, Cora Bank e C6 Bank, por exemplo, já oferecem utilização gratuita também para empresas.

O que acontece caso eu passe a chave de PIX da empresa errada para o cliente?

Uma vez que a chave é única e a transação é instantânea, é importante prestar atenção nos dados.

Caso a chave esteja errada, é bem provável que o aplicativo informe o erro e não complete a transação, pois não encontrou a chave em questão.

No entanto, se você passar a chave PIX da empresa errada e der o azar dela corresponder a outra, o sistema completa a operação. 

Nesse caso, o mais recomendável é ver se o cliente fez o pagamento e identificar a empresa correspondente, para negociar a devolução.

O PIX tem limite diário de recebimentos?

Não, o PIX não tem um limite diário de recebimentos, nem de envios. Ele possui apenas um limite de valor, de R$5 mil por dia.

O usuário pode enviar quantas transações quiser até atingir esse valor, e receber quantias ilimitadas.

PIX permite agendamento de recebimentos e pagamentos?

Para quem não quer fazer uma transferência instantânea, existe a opção de agendar o envio do PIX.

A operação é feita no aplicativo do banco do pagador, que determina o dia para o envio e o valor.

Esse agendamento gera um comprovante, e o envio posterior também. Além disso, é possível cancelar a operação antes da data, se desejar.

É possível cancelar um PIX?

Essa função está disponível apenas para PIX agendados, que podem ser cancelados antes do prazo de envio.

Caso contrário, uma vez que o aplicativo completa a operação, não é possível cancelar, pois o sistema é instantâneo.

É possível estornar um PIX?

O estorno do PIX pode acontecer em duas situações: quando ocorre a comprovação de fraude, ou quando o recebedor rejeita a transação.

Para fraudes, o prazo é maior, pois precisa de comprovação oficial e jurídica, além da autorização do banco.

Enquanto isso, caso o recebedor rejeite o valor que acabou de receber, o dinheiro volta para o pagador, de maneira simples e tão rápida quanto o envio.

Caso tenha mandado um PIX para a pessoa errada, é possível negociar amigavelmente a devolução, ou entrar em contato com o banco, pedindo o estorno. Mas essa opção nem sempre está disponível.

Esse sistema funciona para transferências internacionais?

Infelizmente, o PIX para negócios ainda não funciona para transferências internacionais.

No entanto, o Banco Central já está negociando essa função, com expectativa de lançamento para 2022 ou 2023.

Devido à agenda da ferramenta, funcionalidades como uso internacional foram adiadas, mas não descartadas totalmente.

O PIX para negócios determina o fim do dinheiro?

As inovações nos sistemas financeiros não são uma novidade. Os cheques e os cartões de crédito e débito são exemplos de revoluções que os meios de pagamento passarão.  

Todos eles possuem o objetivo de facilitar a rotina das pessoas e empresas.  

No entanto, o dinheiro sempre foi uma das possibilidades e continuará sendo. Afinal, o projeto de utilização do PIX prevê que os usuários possam fazer saques até mesmo em lojas de varejo.  

Por tanto, não será o fim do dinheiro. Mas sim, uma maneira ainda mais facilitada de sua utilização com mais comodidade para o dia a dia das organizações e indivíduos.

Vale a pena contar com o PIX para negócios?

O PIX é uma tecnologia que causa altas expectativas de mudanças e facilidades para as operações financeiras.  

Segundo o Banco Central, é provável que esse seja o principal meio de pagamento até 2026. 

Por isso, é preciso que os estabelecimentos se adequem e procurem qual é a melhor forma de disponibilizar esse serviço para os clientes.

Afinal, os benefícios são para as empresas, mas também para os demais usuários.

Quer saber mais informações sobre sistemas ERP ou sobre como um sistema de gestão pode contribuir com sua empresa? Não deixe de falar com o time de especialistas em negócios da STI3.

Quer receber uma ligação do nosso setor comercial?

É fácil reconhecer o nosso número: (14) 3411-3333

Para outras dúvidas ou suporte técnico, clique aqui.

Esse site é protegido por reCAPTCHA e o Google Política de Privacidade e Termos de uso apply.