Muitos empreendedores ainda enfrentam dificuldades para fazer a precificação de seus produtos. Afinal, ela vai muito além de apenas definir o valor de uma mercadoria focando no seu custo junto ao fornecedor.

Ao usar essa estratégia da maneira correta, é possível não só planejar ações de vendas, mas também garantir um negócio sustentável.

Além de ser atrativa para o consumidor, ela precisa ser aplicada de forma certa para que não prejudique a sustentabilidade de uma empresa de varejo, por exemplo.

Pensando justamente nessas dificuldades do empreendedor, preparamos este conteúdo para te explicar um pouco melhor sobre a precificação e como aplicar um valor adequado em seus negócios. 

O que é precificação?

A precificação é uma estratégia que ajuda na definição de valores de produtos ou serviços, além de trabalhar em cima de um planejamento muito mais completo.

Ela consegue auxiliar o empreendedor a se posicionar no mercado e se desenvolver da maneira correta. 

Um negócio capaz de realizar esta etapa de maneira adequada, consegue fazer com que suas vendas sejam suficientes não apenas para cobrir os custos, mas para gerar lucro no empreendimento. 

Além disso, a precificação também tem a tarefa de fidelizar os clientes e auxiliar na tarefa de retenção de qualquer comércio. 

Qual a importância da precificação para uma loja varejista?

Definir o preço correto de um produto é muito importante, pois ajuda o gestor a administrar a saúde financeira da empresa da melhor forma. 

Nem sempre vender bem é sinônimo de sucesso. Afinal, qualquer estabelecimento tem custos para continuar operando. 

Sendo assim, a partir de análises e estudos, a precificação leva em conta a quantidade de recursos necessários para a operação e a margem de lucro.

Além disso, essa estratégia ajuda a encontrar um equilíbrio entre os preços praticados no mercado, que atraia o cliente e que não resulte em prejuízos.



Objetivos da precificação

Definir o preço correto de cada produto é essencial para um negócio crescer de forma sustentável, sem dívidas e com um faturamento que cobre todas as despesas.

Assim, ela ajuda a planejar as metas e objetivos em relação ao setor financeiro e o crescimento orgânico do negócio.

Veja a seguir os principais objetivos dessa fase.

1. Atingir o público alvo

O consumidor final é o fator que mais impacta na hora de definir o preço de um produto na loja de varejo. Afinal, ele precisa ser atrativo e ainda cobrir as despesas do negócio.

Dessa forma, essa etapa estratégica visa encontrar um equilíbrio entre esses dois fatores e não prejudicar a corporação.

Por outro lado, ela é uma ótima maneira para atingir um público alvo ideal, evitando desviar da “rota” do planejamento inicial.

2. Ser competitivo no mercado

A precificação correta ajuda o empresário a ser mais competitivo sem arriscar as finanças.

Para fidelizar clientes, muitos gestores trabalham com preços baixíssimos ou vivem fazendo promoção, o que pode causar prejuízos e tornar o negócio insustentável.

Contudo, ao analisar todos os fatores que impactam nos seus custos, é possível ter uma margem mínima de preço que inclua as despesas e o lucro do empreendimento.

3. Acompanhar as tendências do varejo

Como é necessário avaliar o mercado antes de definir o preço de qualquer mercadoria, a precificação também ajuda a acompanhar as tendências dos outros estabelecimentos e não fugir da realidade.

Por mais que a empresa queira lucrar mais, ela precisa ter cuidado para não afastar o consumidor. 

4. Melhorar resultados

Esta etapa também visa fazer com que o empreendimento cresça e tenha bons resultados, uma vez que preços baixos demais podem resultar em prejuízos. 

Com a definição correta, o gestor consegue não só cobrir os gastos para fazer o negócio funcionar, mas ainda planejar metas e objetivos, bem como outros índices que impactam as finanças, como o ticket médio.



5 dicas para definir a precificação dos seus produtos

Antes de determinar o preço de qualquer item de da loja de varejo, é preciso considerar alguns fatores. 

Conheça alguns deles:

1. Conheça seus custos fixos

Primeiramente, é essencial conhecer os custos fixos da empresa para precificar os produtos, como:

  • Impostos;
  • Pagamento de funcionários;
  • Aluguel
  • Energia;
  • Água;
  • Custo da matéria prima;
  • Embalagens;
  • Marketing;
  • Entre outros.

Definir o preço de um artigo sem levar em consideração esses itens, pode fazer com que o faturamento seja insuficiente para cobrir os gastos e as despesas mensais.

A médio e longo prazo, o negócio pode contrair dívidas e se tornar insustentável.

2. Tenha uma margem de lucro definida como padrão

Para que a precificação seja correta é necessário também que o gestor leve em consideração o percentual de lucro que deseja obter em seu negócio. Afinal, ninguém abre uma empresa por passa-tempo. 

Nesse sentido, a receita precisa cobrir as despesas e custos como também a margem de lucro. 

Isso ajuda não só a encontrar o preço ideal, mas a guiar as finanças do empreendimento.



3. Utilize o markup

Esse índice ajuda a calcular quantas vezes o valor de venda supera os custos do produto. Portanto, ele é muito usado na precificação do varejo.

Para definir o markup é preciso, inicialmente, identificar o percentual de Despesas Variáveis (DV), de Despesas Fixas (DF) e o Lucro desejado. 

Em seguida, usa-se a seguinte fórmula:

Markup:  100/[100-(DV+DF+LP)]

O 100 representa o percentual do preço unitário total de venda.

Assim, uma papelaria cuja Despesas Variáveis e Fixas são 10% cada e o lucro 10%, tem um markup de 1,4286, pois:

Markup = 100/[100-(10+10+10)]

                = 100/(100-30)

  markup = 100/70

                = 1,4286

Ou seja, uma mochila comprada por R$20,00 precisa ser vendida a R$28,57, no mínimo.

4. Leve o seu mercado em consideração

Esse é outro fator que ajuda na precificação de produtos, uma vez que o preço dos seus produtos não pode ser muito distante do praticado pela sua concorrência.

Por isso, busque saber detalhes sobre os estabelecimentos do seu mercado, como itens oferecidos, preços, promoções, entre outros. 

5. Inclua a margem de contribuição

Por fim, saiba quanto você precisa faturar para cobrir todos os custos e despesas da empresa e ainda gerar lucro. Esse outro índice de precificação é chamado de margem de contribuição, e é calculado pela seguinte fórmula:

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Nesse sentido, uma loja de roupas que vende uma blusa a R$100, com custo variável de R$40 e despesas de 15% (R$15), tem uma margem de contribuição de R$45, pois:

MC = R$ 100,00 – (R$ 40,00 + R$ 15,00)

MC = R$ 45,00

Desse modo, se ela projeta vender 70 unidades deste item em um mês, terá um faturamento total de R$ 3.150,00 para cobrir todos os gastos. 



Vale a pena ter uma precificação padronizada? 

Sim, essa estratégia é fundamental para as empresas que desejam tornar-se referência no seu mercado de atuação sem abrir mão do lucro ou adotar dívidas.

Contudo, é necessário que o gestor analise cada tipo de produto na hora da precificação.

Mesmo que ele use um único índice para definir o preço de cada mercadoria, ele precisa analisar cada produto separadamente. Isso é necessário porque o custo de uma blusa geralmente é diferente de uma calça, por exemplo.

Agora, se você deseja saber como automatizar o seu negócio e não perder nenhuma venda, entre em contato com um de nossos profissionais e conheça a STi3 Sistemas.

gestao-estrategica-empresarial-05