Apostar em dropshipping pode ser uma ótima solução para quem quer iniciar um negócio online, mas não tem muito dinheiro. 

Com essa modalidade, o empreendedor não precisa ter dinheiro para investir e pode começar com apenas um computador e internet.

Contudo, ela apresenta alguns desafios, como a falta de controle do estoque e da logística, pois quem cuida dessa parte é o fornecedor.

Agora, se você deseja saber quais os benefícios ou desvantagens desse formato de vendas, continue lendo este artigo que a STi3 Sistemas preparou para você.

O que é dropshipping?

É uma modalidade de e-commerce em que a pessoa tem uma loja online e somente intermedia o processo de compra e venda.

Dessa forma, ela é responsável por anunciar o produto e captar novos clientes, mas quem tem o produto e o envia é o fornecedor.

Portanto, é um tipo de negócio que não exige capital inicial grande, nem investimentos em estoques, espaço físico ou colaboradores. 

Além disso, o empreendedor não tem prejuízos caso não venda nada.

Como funciona o dropshipping?

Na prática, a loja virtual realiza a venda da mercadoria e envia a ordem do pedido para o seu parceiro, que, por sua vez, separa o produto, emite a nota fiscal e o envia para o cliente.

O empreendedor então recebe a diferença entre o valor cobrado ao consumidor e o valor do fornecedor.


Por que o dropshipping vem se tornando tão popular?

As vendas online têm crescido cada vez mais, tanto que em 2020, os e-commerce registraram um crescimento de 53,83% em relação ao ano anterior. 

Embora a pandemia tenha intensificado essa expansão, a praticidade já vinha conquistando clientes e empreendedores.

Contudo, uma loja online exige investimento e um bom estoque, o que pode se tornar uma barreira para quem quer começar um negócio, mas não tem dinheiro. Já nas vendas por intermediação, esses desafios não existem.

A pessoa não precisa ter as mercadorias e nem corre o risco de ficar no prejuízo, caso não realize nenhuma venda. 

Benefícios deste formato de vendas

No dropshipping, o dono do e-commerce atua como uma espécie de intermediário. 

Ele mantém seu site e realiza a venda, mas quem tem o produto e o envia para o cliente é o fornecedor, seja ele nacional ou internacional.

Nesse sentido, para atuar com esse tipo de venda, não é necessário fazer grandes investimentos nem ter um espaço físico que uma loja física ou online (escritório e mercadorias) necessite.

Portanto, essa modalidade ainda tem como vantagem:

  • Não necessitar de estoque físico;
  • Trabalhar com diferentes produtos;
  • Início imediato.

Não ter estoque físico

Primeiramente, não é preciso se preocupar em ter ou manter uma boa quantidade de mercadorias. 

Um dos grandes desafios dos empreendedores é lidar com estoque. Se ele é pequeno, dificulta a operação, mas se é grande, os produtos podem ficar parados e trazer prejuízos.

Além disso, um bom estoque depende de um alto investimento e uma estrutura física que o suporte.

Já no dropshipping, o intermediário trabalha com um “catálogo”. E quem envia a mercadoria é o fornecedor.

Dessa forma, os custos, seja para iniciar ou manter o negócio, são bem menores do que os tradicionais. 

Trabalhar com diferentes produtos

O fato de não exigir estoque físico, possibilita o lojista a ter uma gama de mercadorias muito maior. Primeiro porque ele não precisará investir na compra de nenhum produto. 

Depois porque nesse formato de venda não é necessário ter espaço para guardar muita coisa.

Sendo assim, o lojista consegue oferecer diferentes itens aos seus clientes, o que pode proporcionar ainda mais vendas.

Início imediato

Diferente de outros tipos de negócio, neste o lojista pode começar a trabalhar a qualquer momento. 

Como não é necessário ter espaço físico, estoque e uma estrutura operacional grande, o intermediário tem a vantagem de iniciar as vendas apenas com um computador e conexão com a internet.


Desvantagens do dropshipping

Embora tenha muitos benefícios, essa modalidade apresenta algumas desvantagens, principalmente relacionadas à logística, uma vez que quem cuida dessa parte é o fornecedor. 

Assim, pode acontecer envio de produtos errados e atrasos na entrega.

Baixa margem de lucro

O rendimento para quem trabalha com dropshipping é limitado, afinal, o lojista só fica com uma pequena porcentagem.

Em alguns casos, na tentativa de oferecer preços baixos ao seu público, a pessoa pode ficar sem lucro nenhum. 

Do mesmo modo, muitas vezes, ele compete com lojas virtuais que oferecem o mesmo portfólio de mercadorias.

Por isso, é fundamental fazer um bom planejamento e pesquisar por produtos que tenham preços mais competitivos.

Erros de plataforma

O site escolhido pode apresentar diversos erros e dificultar as vendas, principalmente relacionados a integração com o fabricante.

A plataforma de dropshipping precisa ser própria para isso, ou seja, ter um layout intuitivo e com um bom sistema de gestão que consiga comunicar diretamente com o sistema ERP do fornecedor. 

Isso é essencial para que o cliente não compre produtos indisponíveis ou que eles sejam enviados para um outro lugar.

Nesse sentido, é necessário também que a plataforma possibilite o levantamento das informações logísticas, ou seja, qual é o status da entrega.

Não ter controle de estoque

Essa é outra desvantagem da modalidade e acarreta diversos problemas, inclusive a insatisfação do cliente. 

Apesar da ausência de estoque físico facilitar o início do dropshipping, essa é uma característica que pode atrapalhar toda a operação. 

Primeiramente, nem sempre é possível ter controle total dos itens vendidos no e-commerce e dos que estão disponíveis no fornecedor. 

As ferramentas de automação comercial ajudam, contudo, elas podem falhar caso não sejam bem integradas.

Do mesmo modo, o cliente pode comprar um produto por um valor e o lojista não conseguir encontrá-lo com o atacadista de costume, ou ele sair totalmente do mercado.

Como escolher um fornecedor de dropshipping?

O fornecedor é peça chave desse tipo de negócio online, afinal, é ele quem possui o produto e o envia para o cliente. 

Portanto, uma escolha errada pode representar custos elevados, falta de mercadorias e até o fim das atividades.

Além disso, alguns fatores podem ajudar a definir o parceiro ideal, entre eles:

  • Entender os canais de distribuição do seu mercado, ou seja, se é possível comprar direto do fabricante e importador, ou somente do atacadista;
  • Pesquisar por empresas que trabalham com outras empresas (B2B) no Google que tenham boas avaliações;
  • Conversar com cada um dos fornecedores para saber quais são os requisitos de cada pedido, se existe cobrança de taxas, entre outros.
  • Participar de grupos e fóruns;

Quando vale a pena trabalhar com dropshipping?

Essa modalidade é bastante vantajosa para quem quer iniciar um negócio online, mas não quer correr o risco de investir e só ter prejuízos.

O dropshipping também vale a pena quando o empreendedor encontra bons fornecedores e, assim, consegue fidelizar clientes.

gestao-estrategica-empresarial-05